sábado, 6 de junho de 2009

Televisão

Percebi que quando pessoas da minha geração se põem a rememorar a infância, lembram de nomes de marcas de produtos que usavam (Bamba, Pakalolo), brincadeiras de rua (bets, pipa), doces que a mãe/vó fazia, frutas que roubava do vizinho e desenhos que passavam na TV. Aí chegamos na parte em que eu me calo e não participo mais das reminiscências televisivas. Eu só fui assistir TV depois dos 7 anos de idade. Antes disso, eu não conseguia brincar com os meus amiguinhos porque não sabia as posições do Jaspion.

Nos tempos de escola, estudo, namorado, vestibular, entra na universidade, assisti muita TV. Quando mudamos pra Alemanha, tive o primeiro choque cultural diante da TV: todo mundo fala alemão na TV! Depois vieram os estranhamentos: os repórteres não são bonitos, estão lendo as notícias de uma folha de papel e falam numa curva entonacional bizarra.

Sou uma pessoa que não assiste televisão há anos, porque num dado momento percebi que estava perdendo tempo na frente daquela caixa que emitia sons, transmitia imagens e me mostrava como eu não era magra, loira, maquiada e desejável. Enquanto fonte de informações, a TV só reportava tragédias tão maiores que eu, em lugares tão remotos, que a sensação de impotência diante da catástrofe alheia vinha me visitar em sonhos escuros. Enquanto fonte de formação, ela me mostrava programas de divulgação científica de rigor duvidoso, programas sobre a natureza altamente sensacionalistas e descrições do mundo animal completamente antropomorfizadas. Enquanto fonte de entretenimento, ela me fazia rir. Fora a voz da Valéria Grilo, que narrava o Planeta Terra na TV Cultura, não consigo lembrar de nada que valesse a pena na TV.

Agora moro numa casa em que a TV fica ligada do meio-dia à hora de dormir. Essa presença constante da TV me assusta um pouco, mas não me incomoda quando passo as tardes no meu quarto ou no jardim. Já reparei que pessoas que moram sozinhas se sentem menos solitárias ouvindo o 'barulhinho da TV'. Então a televisão é sinônimo de companhia?

Notei que a televisão, que antes era reservada ao espaço privado, está invadindo o espaço público. Todos os vagões de metrô e trem têm uma televisão que transmite uma programação específica que se repete a cada 30 minutos. Horóscopo, dicas de culinária, videocassetadas, entrevistas com funcionários do transporte público, notícias, propagandas da Porto Seguro. Grande parte dos ônibus são equipados com televisões que passam uma programação semelhante. A função destas televisões instaladas em meios de transporte coletivo é distrair a população enquanto espera no trânsito?

Fiquei chocada quando vi uma televisão na fila única pros caixas de 10 unidades no supermercado. Passava dicas de culinária e promoções do supermercado. Qual é a função da televisão na fila do caixa? Informar sobre ofertas imperdíveis que forçarão o cliente a desistir de seu lugar na fila e voltar para o interior da loja à caça daquele produto supérfluo?

Estou convencida de que a televisão é o melhor meio de alienação que há. As pessoas são poupadas da difícil tarefa de pensar como preencher seu tempo. A TV ocupa seu tempo sem que precisem usar de sua criatividade. Ficam passivas, sentadas, absorvendo tudo. Manipulação de massas. Prefiro ficar alheia a isso.

3 comentários:

bobmacjack disse...

Infelizmente perdi muito tempo de minha vida em frente a uma TV. Por sorte minha preferência sempre foi por documentários (concordo com a falta de rigor científico da maioria), com direito a muita TV Cultura (a voz da Valéria Grilo também está na minha memória). Hoje, quando me vejo em frente a uma TV ligada, procuro fugir correndo! Ou pedalando, que é mais agradável :)

Juliana Reis disse...

Oi Lou
TV não faz muito minha cabeça... não sei nada sobre a novela, sobre BBB, moda global... enfim para a uma multidão sou desatualizada hehehe Mas prefiro ler livros, revistas, jornais, blog, sites... conversar, assistir filmes... em muitas outras coisas... que não estão na televisão...
abraço

iglou disse...

Esqueci de mencionar: no prédio onde dou aula tem TV dentro dos elevadores!!!

O bombardeio é tão forte, que eu entendo que algumas pessoas optem por não dar atenção à TV.