quinta-feira, 18 de junho de 2009

Quase chegando

Estou quase chegando, mas me perdi
Nessa escuridão o mundo plano lá fora é frio por igual
O motorista do ônibus se irrita comigo quando aviso
Que errei o ponto pela terceira vez
Que não sei onde moro

Quase chegando, mas não adiantou correr
As nuvens vão se romper antes de eu chegar
O vento forte me fecha os olhos
O farol fechado me impede de prosseguir
E tomo aquela chuva fria esperando a luz verde

Quase chegando, e nem demorei tanto assim
Vim a pé de lá porque saí de casa sem carteira
A bicicleta vai esperar com o pneu furado até eu voltar
Mas eu vou voltar de ônibus

Quase chegando, mas ainda falta esse morro
Os braços já estão quentes debaixo do anorak
As pernas já não querem mais segurar a onda nessa buraqueira
A cabeça já está pensando na cara deles
Só mais um pouquinho de força

Quase chegando, já reconheço detalhes daqui
Cumprimento o guarda de baixo e o da esquina
Reparo que o pé de caqui perdeu todas as suas folhas
Por que a bexiga aperta quando giro a chave na fechadura?

Nenhum comentário: