quinta-feira, 19 de fevereiro de 2009

Der Vorleser

Lembro de ter gostado muito do romance de Bernhard Schlink e de tê-lo emprestado a um dos meus alunos de alemão na época. Foi o primeiro livro que ele leu em alemão e ficou impressionado com a trama: sie konnte nicht lesen!

O filme é uma adaptação bastante fiel, ambientado em Berlin. Ver o Bruno Ganz falando inglês não me causou estranhamento, mas ver a Kate Winslet e o mocinho falando inglês devagar e extra-articulado com um leve sotaque puxado pro alemão me chamou muita atenção. Se não falam alemão, porque fingir que não falam inglês naturalmente?

Durante o filme ficou claro pra mim que essa geração que viveu a Guerra e o Nazismo ainda está mastigando a vergonha de não ter feito nada quando esteve sob o encanto do ditador que caçava judeus. Hora de cuspir isso fora e escrever uma outra história!

Um comentário:

Ruy disse...

Eu também, Lou, não entendo porque diabos os sotaques ridículos que tentam "ambientar" os ouvidos para o lugar de origem da trama... Se não há capacidade da língua original, pelo menos a diginidade da adaptação sem sotaques, oras!
E sobre o tema (não vi "O Leitor"), senti o mesmo em "Operação Valquíria". Ao menos nessa trama, eles tentaram fazer algo...