quinta-feira, 4 de dezembro de 2008

Formação de palavras

Estudar morfologia é muito divertido. Existem diversos processos de formação de palavras (derivação, composição, onomatopéia, reduplicação, acrônimo), cada qual uma aventura particular. Os que eu acho mais empolgantes são as composições por cruzamento de lexemas e os acrônimos (pelo fato de muitas vezes não sabermos que se trata de siglas):

construções lexicais

malufioso (Maluf + mafioso = abra o olho)
imprevilho (imprevisto + empecilho = danou-se)
democradura (democracia + ditadura = faça alguma coisa)
namorido (namorado + marido = recém-casado)
chafé (chá + café = café fraco)
optatória (optativa + obrigatória = Tupi Antigo)
bótimo (bom + ótimo = supimpa)
familionário (família + milionário = família grande)

acrônimos

transistor (transfer resistor)
laser (light amplification by stimulated emission of radiation)
radar (radio detecting and ranging)
modem (modulator/demodulator)
vip (very important person)

No Encontro de Cicloturismo em Camboriú tinha um moço que atendia pelo seu acrônimo, FES (Fábio Eduardo Silva, se não me engano). Na boca da Léia, carioca da gema, /fêz/ soava chiado, como /fêich/ (não consegui inserir aqui o símbolo do alfabeto fonético). FES reclamou: meu nome não é com 'x'. É Silva, não Xilva!!!

2 comentários:

Jonas disse...

Mais uma: internauta (um usador de internet). Adoro esta palavra :)

iglou disse...

Puxa, e não é que a palavra 'usador' está dicionarizada?!... Adorei essa palavra, muito mais transparente que 'usuário'.