quinta-feira, 30 de outubro de 2008

Parque da Redenção

Fui dar uma volta no Parque da Redenção (ou Farroupilha) no intervalo de dois GTs. Tem um mini-zoo lá dentro. Numa jaula tem macacos-prego, na outra tem araras, na outra tem um pavão, na outra tem mais macacos-prego e na outra tem grandes aves de rapina. Saí do mini-zoo e vi uma gaiola com uns vinte gatos. Pareciam ser de rua, a julgar pelo pêlo estropiado. Caminhei mais um pouquinho e vi uma árvore cheia de pombos. Cheia mesmo, assustador. Cheguei ao lago e vi várias tartarugas pescoçando por aí.

Essa parasita tem história: matou seu suporte e cresceu pro lado.

Me rendo. Não consegui identificar que animal não se pode alimentar no parque. Tem bico de pássaro, mas cabeça de peixe. Vejo que identificamos o desenho como referindo a um animal porque identificamos a bola branca com um ponto preto no meio como um olho.
Lembro que uma vez um aluno meu, o Boris, respondeu, numa discussão sobre vegetarianismo, que não comia nada que tivesse olhos. Pelo visto somos proibidos aqui de dar comida a seres que têm olhos.

Nenhum comentário: