terça-feira, 20 de maio de 2008

Dor de cabeça com a Telefonica

Nosso telefone é da Telefonica. Internet e TV são da Net.

Em Dezembro, Caldo perguntou pra nós, moradores da Oca, se concordávamos com a instalação do Trio da Telefonica. Internet, Telefone e TV seriam todos da mesma empresa, a Telefonica. Cancelaríamos a Net. Contanto que ele assumisse as transações, concordamos, porque a Telefonica tinha preços promocionais.

Em Janeiro, Caldo ligou na Telefonica e pediu o Trio. A moça anotou o pedido, depois informou que o Trio está indisponível para a nossa região, mas que poderíamos ficar com o Duo. Não, eu queria o Trio, e se não tiver, cancela o pedido. Desligaram.

Em Fevereiro recebemos um modem Speedy (internet da Telefonica, pra simplificar). Uai, a gente não pediu isso. Caldo ligou na Telefonica numa segunda-feira (ele tem folga nas segundas) e pediu esclarecimentos. A moça não quis acreditar que o modem não havia sido encomendado, e disse que estaria verificando as ligações, procurando pela ligação em que o Caldo diz que é pra cancelar o Trio. Caldo pensou um pouco e quis evitar gastos desnecessários de energia. Peraí. Se vocês puderem me oferecer o Trio, ficamos com o modem e tudo bem. Ah, o Trio continua indisponível para a sua área. Ahá! Se ainda tá indisponível, prova que eu cancelei o pedido do Trio. A gente vai estar verificando aquela ligação. É de arrepiar.

Em Março veio uma conta de telefone astronômica. Além de multa contratual, cobravam pela instalação do Speedy (que não foi instalado, aliás, não saiu da caixa) habilitação do Speedy (que continua inerte na caixa), duas mensalidades do speedy (que nem sabe o que está acontecendo aqui fora) e os juros de multa. É de assustar qualquer cristão.

Numa outra segunda-feira, Caldo ligou lá, dizendo que não íamos pagar por um serviço que não recebemos. A prova de que não recebemos o serviço estava naquela ligação em que o Caldo cancelava o pedido do Trio, que ninguém conseguia localizar. Não pagamos a conta e o Caldo passou por todas as atendentes da Telefonica. É de comer sopa com garfo.

Em Abril veio uma outra conta, igualmente cobrando a mensalidade do Speedy e multa e seus respectivos juros. Já éramos considerados inadimplentes. Caldo voltou à sua ocupação de segunda-feira, passando raiva com as atendentes da Telefonica que passam a ligação adiante, desligam na cara e usam um vocabulário próprio. A novidade era que nosso telefone seria desligado por falta de pagamento. É de gritar com surdo.

Em Maio veio uma oferta de parcelamento de dívida. Somando as nossas contas não-pagas, dava 517 reais e uns trocados. O parcelamento da dívida não discriminava a que se referia a dívida, apenas indicava o total (504) e as parcelas (126 e uns trocados). Inferimos que a Telefonica estava nos concedendo um desconto de 13 reais. Mas 13 reais não equivalem à instalação do Speedy, mensalidades, multa e juros, que insistíamos que não nos cobrassem indevidamente. Caldo passou a encarar as segundas-feiras como dias tensos. É de confundir os loucos.

Junior, o titular do telefone, ligou na Telefonica e quis cancelar o telefone. Falou com inúmeras atendentes, foi transferido várias vezes e a ligação foi interrompida (desligaram na cara dele) muitas vezes. Não é fácil cancelar um telefone. Mas seus esforços surtiram efeito: encontraram aquela ligação em que o Caldo cancela o pedido do Trio. Mas, para confirmar o perdão parcial da dívida, eles precisavam analisar a tal ligação. É de chorar na pia.

Era segunda-feira, e Caldo teve que ouvir da atendente que aquela ligação apresentava inconsistências. É de subir pelas paredes.

Hoje, depois de cinco meses, vieram as contas de março e abril sem a cobrança do Speedy (que continua dentro da caixa). É de dormir no chuveiro.

Nenhum comentário: