quarta-feira, 30 de janeiro de 2008

Pobre de mim

Depois de meio ano de doutorado-sanduíche na Holanda, escrevi um artigo com o meu orientador e o submetemos a uma revista inglesa. Dois meses depois, recebemos a notícia de que ele foi recusado. Pobre Pequena Lou, ela não sabe lidar com críticas dos outros.
Depois de passado o baque inicial, estabeleceu-se uma constante correspondência entre Pequena Lou e seu orientador, na tentativa de resubmeterem um artigo revisado e melhor.
O artigo foi novamente submetido e no dia seguinte os rumos das duas pessoas envolvidas se separaram. Uma voltou para a sua terra natal, o outro começou a fazer as malas para o lugar onde ele fez o seu primeiro estágio no estrangeiro.
Antes do Natal veio a notícia de que o artigo havia sido recusado mais uma vez. Dessa vez haveria um prazo para uma nova submissão. Pequena Lou pediu uma prorrogação deste prazo, para poder curtir as férias em seu estado natal. O prazo lhe foi concedido, e assim que ela voltou das férias, atirou-se ao conserto do famigerado artigo. Reescreveu tudo, mudou a contagem e análise dos dados, reorganizou as sessões e mexeu tanto no texto, até que finalmente teve a impressão de ter terminado o trabalho. Mandou o texto para o orientador, pedindo que ele revisasse erros de inglês, uma constante reclamação dos pareceristas. O orientador respondeu que não tem tempo de ler o artigo novo no prazo, e sugeriu que seu nome fosse retirado da lista de autores. Lá se foi meu revisor, pensou nossa heroína cansada.
Procurou por falantes nativos de inglês que topassem ler um texto sobre fala telegráfica e afasia. Perguntou ao seu amigo não-nativo, lingüista e tradutor, mas ele está dando a volta ao mundo, e quando voltar, vai precisar se adaptar às condições locais. Encontrou um semi-nativo, lingüista, namorado de amiga, que cobra mais que o aluguel da nossa protagonista. Resolveu procurar mais e encontrou um nativo, interessado em psico-coisas que cobra quatro vezes o aluguel da nossa pobre coitada. Ainda não atingimos o desenlace da estória, mas já sabemos que essa história vai sair caro.

Um comentário:

Beck disse...

Entrei por acaso. Belas fotos. Inclusive do meu Estado, Santa Catarina.