sábado, 8 de dezembro de 2007

Mongólia

Recomendo a leitura deste livro, que foi vencedor do Prêmio Jabuti em 2004. Mais um livro da "estante do Renato", em que estive mergulhada por cinco dias. Transcrevo parte das orelhas:

... um dilomata brasileiro recém-chegado à China é enviado, contra a vontade, aos confins da Mongólia em busca de um jovem fotógrafo desaparecido no ano anterior nos montes Altai.

Mongólia é ao mesmo tempo relato de viagem e ficção, numa espécie de diálogo que se estabelece entre o diário deixado pelo desaparecido e aquele que escreve o diplomata encarregado de encontrá-lo, como se só pudessem avançar sobre as próprias palavras.

Um país em que a memória se perdeu pelo uso da força, e a imaginação, antes cerceada, agora toma o lugar da memória e se confunde com as condições mais extremas da realidade.

... um labirinto sem paredes.

Nenhum comentário: